Feeds:
Posts
Comentários

Vogue covers

Uma coisa é certa para quem trabalha ou quer trabalhar com jornalismo de moda, como é o meu caso: “achismos” não valem de nada nessa área. Nenhuma tendência vira tendência porque uma só pessoa achou que deveria. É preciso muito mais do que faro jornalístico para descobrir e redescobrir movimentos, cores e modelagens; é preciso ter bagagem cultural.

Apesar de ser um termo tão repetido que quase perde seu significado ao longo da faculdade de jornalismo, ele é uma verdade. E, apesar de ser um tanto quanto abstrato, qualquer pessoa, seja jornalista ou não, precisa encher essa bagagem.

E nada melhor do que um bom livro para preencher esse espaço, né? Se o livro for lindo, com ilustrações e fotos incríveis, só melhora, certo? Bom, então ai vai a minha sugestão: Vogue Covers 1920 – 2009, escrito e organizado por Carine Roitfeld, a editora chefe da Vogue francesa.

O livro é um achado para quem gosta de História e Fotografia de Moda e Arte. Richard Avendon, Robert Doisneau, Irving Penn, Andy Warhol, Miró, Dalí e Marc Chagall são apenas alguns dos nomes que já criaram capas para a revista. Muito mais do que as capas recentes, o que me impressionou no livro são as ilustrações das primeiras capas. No início, a revista vinha sem nenhuma chamada, apenas com desenhos lindos, muitos de inspiração Art Déco.  Mas, como não poderia deixar de ser, Carine dedica um capítulo inteiro à era das Supermodels. E ai, dá-lhe Linda, Claudia, Naomi, Kate, Twiggy e, claro, Gisele.

É um investimento válido para quem gosta do assunto e quer entender um pouco mais sobre como criar uma boa capa de revista – o que, na minha opinião, é uma das coisas mais difíceis de se fazer. E a Vogue sabe fazer como ninguém.

Anúncios

Ryqueza pura!

Carol R., Isabelli, Emanuela, Carol T., Fernanda, Izabel Goulart, Ana Claudia e outras todas trabalhadas no ouro, preto e paetês na edição de aniversário de 35 ano da Vogue. A capa é dupla, mas não dá pra tirar a foto, sorry! É ou não é muita ryqueza?

A moçoila está participando do “I’m wearing today” da Vogue U.K. – uma versão com famosas do mara Hoje eu vou assim da Cris Guerra -, no qual ela mostra dia por dia as roupas que  vai usar durante o mês.

Além de cabelo e make impecáveis, looks lindíssimos e cheios de bossa com peças até de fast-fashions, como Zara. É ou não é para morrer de amores por ela?

Olha lá: Vogue U.K.

Esse editorial da Vogue Japão é de deixar orgulhoso McQueen, James Cameron e demais apostadores na tendência “eco-futuro-tecnológico”.

Babem…

McQueen III – a saga

Sei que fica até repetitivo, mas se “inspirar” nas criações do McQueen não é só exclusividade de redes de fast-fashion gringas.

Na nova coleção da Empório Naka tem um um sapatinho idêntico a esse aqui do McQueen, só que com um salto um pouquinho mais grosso:

"McQueen" do Empório Naka

A foto é do blog Das Guimarães (que é ótimo, por sinal!). Custa RS268,00 se não me engano e nem adianta procurar no site da Empório Naka porque eu já fui dar uma olhada.

Outra versão tupiniquim para o sapatinho é da Imporium, marca carioca que não vende aqui em São Paulo. A foto é do blog Eu Amo Chanel.

Não é o original, mas os genéricos são bem dignos. #Fikdica!

Turkey

Calma que o post não é sobre a ave mais querida do Natal (“peru de Natal, peru de Natal, como é fácil de fazer!”)!

Na verdade, só estou dando uma passadinha rápida para mostrar a primeira edição da Vogue Turquia! A capa é um show: sem nenhuma chamada, só com a Jessica Stam fotografada por Patrick Demarchelier.

Lá dentro, tem editoriais recheados com fotos de Istambul com direito a vestido McQueen e mais algumas com Jessica…

Penas pra que te quero

Invejinha branca dupla do dia:

1) Isabella Fiorentino com look baphônico com penas maravilhosas.

2) Ela estava indo para a gravação do programa da divah da TV brasileira, Hebe Camargo!!! (Hebe we love you!)